Uma jóia que nasce de um ritual

A. Sinai, pintora alquimista que transforma seus quadros em jóias

11 MAIO 2017,
Jóias desenhadas por A. Sinai
Jóias desenhadas por A. Sinai

Era uma vez uma vela azul, três paus de incenso, um copo de água e uma oração.

Esta peça resultou de um ritual de "Prosperidade" realizado na noite de passagem de ano 2016 / 2017.

A vela azul índigo derreteu e à medida que derretia foi transbordando do castiçal e foi formando uma espécie de escultura.

O resultado foi surpreendente para a artista, pois viu de imediato que poderia transformá-la numa jóia! Assim é! Deste modo, esta obra de arte encerra em si a energia da prosperidade e abundância, que estiveram na sua formação de base.

Depois foi partilhar esta história e mostrar o molde na Topázio. A produção ficou entusiasmada com a ideia e assim nasceu a Jóia e a linha Prosperidade de A. Sinai.

A. Sinai é o nome da pintora alquimista, que para além de transformar os seus quadros em jóias, também as cria a partir de rituais como este.

Por "Ritual" entende-se uma série de procedimentos, gestos e acções que são feitas com vista a obter um determinado fim. Estes procedimentos que compõem um Ritual são, geralmente, provenientes de tempos muito antigos, pois já as civilizações primitivas seguiam rituais para obterem protecção dos céus, ou para alcançarem determinadas graças. Quase todas as civilizações tinham um "mago" ou "curandeiro" - alguém que era estudioso dos mistérios do Universo, que conhecia as regras que regem a energia cósmica e que por isso sabia quais as plantas certas para determinadas curas, quais as propriedades dos cristais ou o momento do dia/ do ano mais auspicioso para obter certos "favores do céu", entre outras coisas.

Por céu entende-se, aqui, o inexplicável, tudo aquilo a que não sabemos dar nome, que não podemos justificar de onde vem ou onde começa e acaba, aquilo que para muitas pessoas é "Deus", para outras “Universo”; para algumas “ Energia”.

Os Rituais distinguem-se da Magia porque repetem certas acções e procedimentos e, principalmente, porque se dirigem a Deus, a um santo, anjo, ou a qualquer entidade espiritual, a quem se faz o pedido.

Os rituais são característicos de quase todas as sociedades humanas conhecidas, passadas ou atuais. Eles podem incluir os vários ritos de adoração e sacramentos de religiões organizadas e cultos, mas também os ritos de passagem de certas sociedades, como coroações, posses presidenciais, casamentos e funerais, e outros.

O ritual esboça comportamentos de troca que ganham valor comunicativo e expressivo. Na medida em que a espécie humana dominou a linguagem e desenvolveu-a com seus valores culturais e religiosos, os rituais passaram a simbolizar ideologias e ensinamentos tornando-se mais complexos.

Neste caso, a linguagem é a da arte, da conjugação de diversos elementos, que metamorfoseados ao jeito alquímico, com o sopro e palavras mágicas da artista, deram lugar a uma Jóia.

A partir de 11 de Maio podem apreciar a forma exótica da Prosperidade na Loja da Topázio em Lisboa, no Hotel Altis da Rua Castilho.