Sriyam

Um longo percurso de crescimento pessoal

21 JUNHO 2017,

Não me lembro de nada sobre os primeiros seis anos da minha vida, e também não me lembro da minha mãe que deixou este mundo, quando eu tinha apenas seis anos.

Tenho apenas duas vagas recordações dela relacionada com dois momentos em que me dei conta da sua presença e ternura, mas não me lembro do seu rosto.

Mas quando olhava para o retrato dela na cozinha da minha avó, o meu coração reconhecia-a: recebia uma grande doçura dos seus olhos e sentia uma nostalgia profunda.

A sua falta foi uma grande dor, reforçada pelo facto de que ninguém me contou mais nada sobre ela, e ninguém me disse que tinha permanecido sem minha mãe.

Estas dores influenciaram a minha vida inteira até que conheci os Anjos.

Passei a minha infância e adolescência com a minha madrasta e o meu pai que estava longe para o trabalho.

A minha madrasta ignorou-me totalmente e deixou-me completamente sozinho em tudo e para tudo.

Fechava-me em casa sozinho, dizia-me apenas o indispensável e congelava-me com os seus olhares.

O seu silêncio fez-me sentir recusado e causou-me medo dela, de tudo e todos, em qualquer situação.

Senti-me abandonado, à mercê de tudo.

O meu pai amava-me ‘à sua maneira’..., de uma maneira que uma criança não pode compreender nem sentir.

Sobrevivi graças a minha avó e tios com quem passava os feriados e domingos.

Também eles eram de poucas palavras e não sabiam como expressar o seu Amor, mas fizeram sentir-me amado e acolhido.

Ir visitá-los permitia-me ficar longe de minha madrasta e viver na campanha, coisa que agradava-me muito.

Eu sufoquei todos os choques que experienciei durante anos ao tentar esquecê-los a viver uma vida superficial. Só mais tarde entendi quanto esta vida era superficial.

Naquela época, parecia inebriante para mim. Um bom trabalho, disponibilidade económica, desporto, divertimento, férias contínuas e sempre em companhia de muitos amigos.

Eles gostavam de estar comigo porque eu era capaz de entretê-los e criar muitos momentos de jovialidade.

Mas um dia, o que eu tinha tentado sufocar e esquecer veio a superfície de repente, levando-me a um estado de desorientação, confusão, desespero, medo, angústia.

Recusei aquela vida despreocupada e já não me satisfez mais nada.

Para sair dessa situação, comecei um longo caminho de crescimento pessoal, de consciência, de aprendizagem de técnicas de cura e de motivação.

Isto foi para mim determinante para continuar a viver.

Mas ainda sentia um enorme vazio e uma solidão profunda.

Aprendi muitas consciências, conhecido as dinâmicas comportamentais, reelaborar os lutos, os choques e entendido muito mais coisas.

Assisti a um curso apos o outro, mas não conseguia preencher esse vazio e continuei a sentir-me sozinho.

Mas a minha mãe ajudou-me a conhecer os Anjos levando-me a fazer a experiência do channeling com Satya.

Durante o channeling, a minha mãe falou comigo, explicou-me o que aconteceu e quanto ela tinha sido sempre perto, amando-me e protegendo-me.

Ela me disse que meu Anjo estava ao meu lado e como Ele podia ajudar em tudo, acompanhar, orientar e proteger-me.

Eu tinha certeza de que estava a falar realmente com ela porque ela me deu alguns detalhes que só eu sabia sobre ela e fez-me sentir a ternura de sempre.

As suas vibrações, o seu terno Amor abriram o meu coração e deram à luz lágrimas de alívio e liberação.

Naquele momento, eu comecei a curar as feridas profundas que estavam no meu coração.

Após esta experiência maravilhosa, eu estava confuso. Nunca tinha ouvido falar de estas dimensões.

Apesar disso, eu não tinha dúvidas que aconteceu: eu 'reconheci' a minha mãe, o seu Amor e ternura.

Pouco depois, numa altura em que estava a fazer uma escolha decisiva para minha vida, a minha mãe interveio novamente para me explicar os riscos escondidos atrás do que aparentemente parecia a solução de muitos meus problemas.

Ela ‘salvou-me’ de dores e dificuldades futuras!

A sua ajuda levou-me a refletir sobre uma possível mudança na minha vida.

A mudança foi total.

Eu comecei a seguir um Caminho de Crescimento e evolução, juntamente com outros Companheiros de viagem, guiados pelos Anjos.

Os Anjos me ajudaram a entender a minha vida, a transformar o meu sofrimento, a curar os traumas e as feridas do meu passado, a redescobrir o propósito da minha vida.

Os Anjos me levaram a conhecer Amor e uma nova maneira de amar.

Eles explicaram-me o significado de compaixão, que permite a verdadeira aceitação, o total entendimento, o perdão.

Eu perdoei o meu pai e isso possibilitou-me dar-lhe o Amor que não tinha sido capaz de expressar-me.

Eu perdoei a minha madrasta e compartilhei isso com ela, trazendo a paz ao seu coração e ao meu.

Em fazer estes perdões, percebi que na realidade tudo o que vivi me fez crescer, me levou a entender mais sobre tudo e todos e me permitiu de alcançar à compaixão, à aceitação dos outros como são, a não julgar.

No final, senti uma grande gratidão em relação àqueles que tinha perdoado e amei-os ainda mais ao vê-los como 'meio' para o meu crescimento, e para a minha evolução.

Do meu passado são permanecidas apenas as consciências e as lições que aprendi: o meu coração está livre.

Sorrio quando penso na liberdade que eu tinha certeza de ter quando tinha 20 anos porque percebi e experimentei que a única verdadeira liberdade é a liberdade que vem de nós mesmos.

Reconheci todas as ilusões que tinha vivido e deixei-as com gratidão, porque me deixam compreender o valor do que eu estou a escolher agora, do Caminho que estava começando.

Conheci novos amigos que se tornaram os meus ‘Companheiros de viagem’ num Caminho maravilhoso, onde somos amados, protegidos, guiados, ajudados, tranquilizados, acompanhados pelos Anjos.

Os Anjos doaram-me e estão a doar-me a oportunidade de ajudar muitas pessoas compartilhando com elas o que vivi, as consciências e as experiências que vivi neste Caminho.

Isto também selou a minha cura, as minhas mudanças e alegrou a minha Criança interior.

Os Anjos deram-me a coisa mais importante: sentir a minha mãe perto de mim.

Com ela ao meu lado, apaixonei-me pela Grande Luz e pelo 'mundo' de Luz.

Eu estou infinitamente grato à Grande Luz pela imensidão inexprimível que recebi.

Agradeço ao meu Anjo, aos Anjos e à minha mãe por me ensinarem a viver na solidão alegre, a não sentir-me mais sozinho.

E tenho certeza de que não me sentirei mais sozinho se estiver ao lado Deles e se subirei como uma Criança nos braços Deles.