Achtung! Filmes de Berlim

26 — 31 mai 2015 no Cine Brasilia em Brasília, Brasil

20 MAIO 2015
Axel Ranisch. "Acima do peso" (Dicke Mädchen). 2011
Axel Ranisch. "Acima do peso" (Dicke Mädchen). 2011

Para dar início aos eventos em Brasília em comemoração aos 25 Anos da Unidade Alemã, a Embaixada da Alemanha e o Goethe-Zentrum Brasília apresentam, com o apoio da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal, a mostra Achtung! Filmes de Berlim. De 26 a 31 de maio, sete longas-metragens, sendo seis deles inéditos na capital federal, serão apresentados no Cine Brasília, com entrada franca. O público terá acesso a produções de Berlim, dos últimos cinco anos, que têm a cidade como personagem. A curadoria é de Sebastian Brose e Hajo Schäfer - Achtung Berlin - New Berlin Film Award

Não há outra cidade na Europa que tenha se transformado de maneira tão dinâmica nos últimos 20 anos quanto a capital da Alemanha. A repentina queda do Muro, em novembro de 1989, desencadeou um veloz processo de urbanização. Isso se refletiu também no cinema. A cada ano são produzidos mais de 300 filmes na região de Berlim-Brandemburgo, um local que oferece, de maneira singular, uma coexistência de produções de alto orçamento, com uma cena artística de baixo custo e que serve de incubadora para inovações de forma e de conteúdo.

A programação da mostra reflete este amplo leque e apresenta filmes com enredos ambientados em diversos contextos urbanos, com variados estilos e tendências, de diretores consagrados. Inclui de produções patrocinadas a estreantes que realizaram seus filmes por meio de crowdfunding.

Na abertura, o premiado Oh Boy (2012), de Jan-Ole Gerster, traz a crônica de um dia e uma noite da vida do jovem Niko pelas ruas de Berlim. Logo após a exibição do filme, a Embaixada da Alemanha oferecerá coquetel aos convidados.

Ainda ente os destaques da mostra estão o mais recente Jack (2014), de Edward Berger, aclamado na Berlinale do ano passado; Acima do Peso (2011), de Axel Ranisch, representando o movimento Berlin Mumblecore (filmes independentes), que conquistou o público e a crítica na Alemanha e Corra se puder (2010), de Dietrich Brüggemann, diretor do premiado filme 14 Estações de Maria, lançado no Brasil recentemente.

A mostra Achtung! Filmes de Berlim é uma coprodução do Goethe-Institut e do Festival Achtung Berlin.

Sinopses dos filmes

Oh Boy (Oh Boy)

Direção: Jan Ole Gerster, 90 min, 2012, comédia
CI: 12 anos
Niko Fischer leva a vida à toa. Largou seus estudos de direito. Vagueia pelas ruas de Berlim, observa perplexo as pessoas da cidade e se deixa levar. Naquele dia, tudo muda: o pai suspende a mesada, o relacionamento com a namorada fracassa, um psicólogo lhe tira a carteira de habilitação, um vizinho desabafa com ele suas agruras e começa a chorar, uma conhecida dos distantes tempos de escola lhe passa uma cantada e, em um bar, um homem idoso lhe conta sobre uma ocorrência traumática na infância. No final, o velho morre, e Niko, talvez pela primeira vez, demonstra algum envolvimento e senso de responsabilidade. Finalmente chegara a hora de ele se tornar adulto. Oh Boy, conta em episódios as turbulentas 24 horas na vida de um jovem, no fim das quais nada mais será como antes.

A gatinha esquisita (Das merkwürdige Kätzchen)

Direção: Ramon Zürcher, 72 min, 2013, comédia dramática
CI: livre
Karin e Simon visitam seus pais e sua irmã Clara. Para a noite, planeja-se um jantar com todos, para o qual foram convidados também outros membros da família. Durante os preparativos, a vida em família parece transcorrer de modo inteiramente trivial: o cunhado conserta a máquina de lavar, a filha faz uma lista de compras, a mãe prepara a comida, dois animais domésticos vagueiam pelo apartamento. Apesar disso, a atmosfera está carregada de agressividade subliminar. Ninguém no círculo familiar parece realmente feliz, a mãe sobretudo. Mas a desarmonia latente jamais vem à tona de fato.

Acima do peso (Dicke Mädchen)

Direção: Axel Ranisch, 77 min, 2011, comédia dramática
CI: livre
Sven vive com a mãe, Edeltraut, em um apartamento e divide com ela até mesmo a velha cama de casal. Quando ele vai para o trabalho, Daniel chega e cuida da mulher, que sofre de demência. Um dia, Edeltraut tranca Daniel na sacada e desaparece. Juntos, Sven e Daniel procuram pela desaparecida. Isso bem que poderia ser o início de uma bela amizade, não sentisse Sven tão evidentes inclinações homossexuais – e não tivesse Daniel esposa e filho à sua espera. Desenvolve-se então, uma história de amor tragicômica. Seu final feliz não garante uma união, mas a emancipação de Sven.

A invisível (Die Unsichtbare)

Direção: Christian Schwochow, 113 min, 2011, drama
CI: 12 anos
Fine Lorenz, uma estudante de arte dramática, sonha com uma carreira nos palcos. Dada sua modéstia, ela teria poucas chances se não fosse o interesse de Karl Friedmann. Talvez seja exatamente isso o que atraiu a atenção do eminente diretor. Fine é uma folha em branco, maleável para representar um grande papel e disposta a alterar sua identidade também na vida, sacrificando sua própria personalidade. Quanto mais Fine se dispõe a incorporar o papel sob a pressão do diretor, mais arriscado se torna o jogo. A auto anulação leva a jovem atriz à beira de uma catástrofe.

Jack (Jack)

Direção: Edward Berger, 102 min, 2014, drama
CI: livre
Jack tem 10 anos e mora num internato. É o primeiro dia das férias, mas sua mãe não aparece para buscá-lo. Ela é mãe solteira, mas não dá conta de sua própria vida e da educação de Jack e de seu irmão mais novo. Ele vai para casa sozinho. Sobra para Jack pegar o irmão na casa da amiga da mãe e começar a procurá-la pela cidade. No rastro dela, eles passam pelas casas dos amigos da mãe, que têm palavras carinhosas para as crianças, mas não têm capacidade de apoiá-los. Jack, com seus 10 anos, parece o personagem mais maduro do filme.

Love Steaks (Love Steaks)

Direção Jakob Lass, 89 min, 2013, comédia dramática
CI: 12 anos
Um hotel de luxo. Bifes estão sendo fritos. “Pneuzinhos” das cinturas estão sendo massageados. O novato Clemens (carne tenra) chega a um spa. Lara (no ponto) tem de se impor à brigada da cozinha. O elevador une os dois. Ambos se desgastam até o atrito. Atritam-se para inflamar. Inflamam-se para queimar. Cena por cena, a história se transforma em uma grande paixão, uma história dura e ao mesmo tempo terna, na qual um depende do outro, porque um basicamente tira sua força do outro, o que obviamente provoca muitas faíscas: uma combinação de comédia screwball, pastelão e melodrama.

Corra se puder (Renn, wenn du kannst)

Direção: Dietrich Brüggemann, 112 min, 2009/10, drama
CI: 12 anos
Ben e Christian estão apaixonados pela mesma mulher. Ben anda de cadeira de rodas e Christian está prestando o serviço comunitário como acompanhante de Ben. Eles conhecem a violoncelista Annika, que está completamente sobrecarregada com seus estudos de música. Um triângulo amoroso contado com diálogos engraçados e absurdos, além de uma boa porção de humor negro. Cinema inteligente que toca o coração.