Maria Antónia Jardim
  • Colabora no WSI desde fevereiro de 2014
Maria Antónia Jardim

Maria Antónia Jardim é doutorada em Ciências da Educação pela Universidade do Porto. Mestre em Literaturas Clássicas Comparadas pela Universidade Clássica de Lisboa. Pós- doutorada em Arte Terapia. Discípula de Paul Ricoeur, é especialista em estudos hermenêuticos e simbólicos.

Professora Universitária , com Agregação em Psicologia da Arte; investigadora no CLEPUL.

Durante 10 anos leccionou Psicologia da Educação e Psicologia da Arte, na UFP-Porto. Coordenadora do 1º Mestrado na Europa em Criatividade e inovação da UFP.

Formadora no Instituto CRIAP. (Coordenadora de Pós- Graduações e Cursos presenciais e em E- Learning.) Orientadora de vários Cursos sobre Imaginário Onírico e Arte Terapia, em Portugal e no Brasil ( Universidade Federal de Pernambuco e Universidade de Santa Cruz do Sul) e estágios de Raja Yoga na Índia e Oxford.

Escritora e Pintora, publicou diversos livros académicos, sobre Hermenêutica, Simbólica, Psicologia da arte, imaginativa onírica e novas pedagogias.

Relativamente à pintura, o seu nome de pintora é A. Sinai e o seu primeiro quadro aconteceu aos 18 anos. Foi a primeira pintora no mundo a transformar quadros em jóias, o que lhe valeu o elogio epistolar da Rainha de Inglaterra, Isabel II, em 2008, aquando os 120 anos do nascimento de F. Pessoa. O segundo momento de metamorfose foi no ano seguinte com a Joia do Douro, um quadro transformado em medalhão / alfinete ao jeito de D. Antónia Ferreirinha, em prata, ouro e pedras preciosas. A terceira vez foi quando a Joia da Alice, exposta no Museu Nacional Soares dos Reis, deu lugar a um alfinete / medalhão em Ouro e esmalte, em 2010. Celebrou os 30 anos de pintura em Fev. de 2012 na Livraria Lello, no Porto.

Um dos seus quadros, foi o seleccionado para ser o rótulo da colecção numerada de garrafas da Jvc Holding que celebram os 150 anos do Amor de Perdição. (2012)

Participou na LICE: Lisbon International Contemporary Exhibition 2014.

Faz parte da 2ª edição do livro: Artists Cross Continents, que saiu em Março e foi apresentado em Maio de 2015 no Dubai e novembro em Paris, no Carroucel du Louvre, onde A. Sinai expôs o quadro: F. Pessoa, o Mago.. Em 2016 apresentou mais uma vez a transformação de quadros em jóias: 2 corações em ouro e prata pela mão da Topázio, correspondendo a 2 acrílicos, corporizando o projecto “ De Alma e coração” na Exposição “ A Saudade na Geografia Feminina” no Palácio da independência.

Publicou o seu primeiro livro aos 15 anos, aos 19 ganhou um Prémio de Contos e conta agora com 7 livros de ficção, publicados entre 2006 e 2016 e apresentados nacional e internacionalmente, em embaixadas e consulados europeus.

O seu oitavo romance será apresentado na livraria Lello em 2017, ano das comemorações dos 111 anos da Livraria.

Artigos por Maria Antónia Jardim