Maria Antónia Jardim
Colabora no WSI desde fevereiro de 2014
Maria Antónia Jardim

Maria Antónia Jardim é doutorada em Ciências da Educação pela Universidade do Porto. Mestre em Literaturas Clássicas Comparadas pela Universidade Clássica de Lisboa. Pós- doutorada em Arte Terapia. Discípula de Paul Ricoeur, é especialista em estudos hermenêuticos e simbólicos.

Professora Universitária , com Agregação em Psicologia da Arte; investigadora no CLEPUL.

Durante 10 anos leccionou Psicologia da Educação e Psicologia da Arte, na UFP-Porto. Coordenadora do 1º Mestrado na Europa em Criatividade e inovação da UFP.

Formadora no Instituto CRIAP. (Coordenadora de Pós- Graduações e Cursos presenciais e em E- Learning.) Orientadora de vários Cursos sobre Imaginário Onírico e Arte Terapia, em Portugal e no Brasil ( Universidade Federal de Pernambuco e Universidade de Santa Cruz do Sul) e estágios de Raja Yoga na Índia e Oxford.

Escritora e Pintora, publicou diversos livros académicos, sobre Hermenêutica, Simbólica, Psicologia da arte, imaginativa onírica e novas pedagogias.

Relativamente à pintura, o seu nome de pintora é A. Sinai e o seu primeiro quadro aconteceu aos 18 anos. Foi a primeira pintora no mundo a transformar quadros em jóias, o que lhe valeu o elogio epistolar da Rainha de Inglaterra, Isabel II, em 2008, aquando os 120 anos do nascimento de F. Pessoa. O segundo momento de metamorfose foi no ano seguinte com a Joia do Douro, um quadro transformado em medalhão / alfinete ao jeito de D. Antónia Ferreirinha, em prata, ouro e pedras preciosas. A terceira vez foi quando a Joia da Alice, exposta no Museu Nacional Soares dos Reis, deu lugar a um alfinete / medalhão em Ouro e esmalte, em 2010. Celebrou os 30 anos de pintura em Fev. de 2012 na Livraria Lello, no Porto.

Um dos seus quadros, foi o seleccionado para ser o rótulo da colecção numerada de garrafas da Jvc Holding que celebram os 150 anos do Amor de Perdição. (2012)

Participou na LICE: Lisbon International Contemporary Exhibition 2014.

Faz parte da 2ª edição do livro: Artists Cross Continents, que saiu em Março e foi apresentado em Maio de 2015 no Dubai e novembro em Paris, no Carroucel du Louvre, onde A. Sinai expôs o quadro: F. Pessoa, o Mago.. Em 2016 apresentou mais uma vez a transformação de quadros em jóias: 2 corações em ouro e prata pela mão da Topázio, correspondendo a 2 acrílicos, corporizando o projecto “ De Alma e coração” na Exposição “ A Saudade na Geografia Feminina” no Palácio da independência.

Publicou o seu primeiro livro aos 15 anos, aos 19 ganhou um Prémio de Contos e conta agora com 7 livros de ficção, publicados entre 2006 e 2016 e apresentados nacional e internacionalmente, em embaixadas e consulados europeus.

O seu oitavo romance será apresentado na livraria Lello em 2017, ano das comemorações dos 111 anos da Livraria.

Artigos por Maria Antónia Jardim

Subscribe
Get updates on the Wall Street International Magazine